Clube da Luta – Download

Ao contrário do que muitos pensam, Clube da Luta não é sobre violência, nem a banaliza. É um filme sobre ideologia, com uma crítica bem ácida sobre a sociedade moderna.
Um dos melhores filmes dos últimos tempos, do tipo que não te deixa parar de pensar, Clube da Luta vem gerando inúmeras discussões e controvérsias entre jornalistas, cinéfilos e feministas, sendo designado como fascista, machista ou, até mesmo, mera cópia da obra “Laranja Mecânica”.
Outro fator que fez com que o filme do diretor David Fincher fosse precipitadamente mau interpretado, foi o incidente ocorrido no Shopping Morumbi, em São Paulo, onde um estudante de Medicina disparou sua metralhadora na direção da platéia, durante uma seção da fita. Isso fez com que o filme saísse rapidamente de cartaz, fazendo com que muitos não o assistissem. Além de, claro, alimentar a mídia que pisoteou no filme, acusando-o de ser o responsável pelo incidente.
Porém, antes de esboçar qualquer reação, é necessário levar em consideração que o sujeito possuia problemas de conduta e personalidade, agravados desde a adolescência, além de um envolvimento com drogas. Vale lembrar também: o próprio “maluco do shopping” revelou não ter assistido ao filme (e suas testemunhas não desmentiram).
O fato é que, mesmo que o “maluco” tenha assistido ao filme 1 milhão de vezes, é de extremo mau gosto responsabilizar o “Clube da Luta”.
[* Nota: se ele estivesse numa sessão de “Orfeu”, diriam que a violência dos traficantes cariocas o inspirou, não é mesmo?]
É importante ressaltar também, a relação alardeada pela crítica entre o filme de David Fincher e “Laranja Mecânica”, o clássico de Stanley Kubrick. Os dois filmes mostram a explosão da violência como válvula de escape para o recalque provocado pela sociedade. No entanto, a comparação pára por aí.
Não se pode negar que “Clube da Luta” incite à violância ou vandalismo. E eu não nego. Pois sei que filmes deste tipo são perigosos. Mas somente às mentes pretensiosas e com tendência à destruição. Isto porque o filme nos leva à tantas reflexões, que, uma análise superficial tende à apresentá-lo como revolucionário (no sentido pejorativo da palavra). E é aí que está o perigo. Porém, o que gostaria de expor, é a minha indignação ao ver diversas críticas superficiais e precipitadas sobre o filme, mostrando o que ele na verdade não é.
Clube da Luta mostra sim, o questionamento do homem na sociedade. “
Fomos criados pela televisão para acreditar que um dia seríamos ricos, estrelas de cinema e do rock. Mas não seremos. E estamos aos poucos aprendendo isso. Neste argumento do personagem Tyler Durden [Brad Pitt],
vemos claramente o inconformismo, a angústia e o medo do homem ao “cair na real”, e perceber que sua vida é muito mais do que as regras que ele e a sociedade estabeleceram para viver. É quando se percebe que “(…) você não é o dinheiro que tem, nem o carro que dirige…, e nota-se que o consumismo é algo totalmente supérfluo. E é aí que está uma das essências do filme: o questionamento das coisas supérfluas em nossas vidas. A propaganda nos faz correr atrás de coisas, trabalhos que odiamos, para acabar comprando o que não precisamos. São essas e outras características que se devem enxergar em “Clube da Luta”: um filme que justifica todas as acusações da influência negativa que os filmes de Hollywood têm na sociedade, particularmente entre os jovens. E não existe nada mais engraçado do que colocar Brad Pitt como o personagem anti-hollywood e Edward Norton como um cara alienado e com cara de bobo. Por falar em Pitt e Norton, é impossível negar que suas atuações foram geniais! E, sim, “Clube da Luta” é engraçado! (é perigoso que eu diga isso, pois alguns irão dizer que estou rindo da desgraça alheia, devido ao caso do “maluco do shopping”). Basta que as pessoas entendam que nem tudo o que está no filme é exatamente real. Do princípio ao fim, o filme discute o nosso perfeito “mundo moderno”, mas de um jeito diferente, através da mente do pirado Tyler Durden. Cabe à cada um decidir o que Tyler realmente era: uma alucinação de Jack?
Ou a dupla personalidade do mesmo?… Obras de arte servem para confundir, causar conflitos, reflexões. Elas não servem para explicar nada. Se explicam, e somente explicam, logo não são obras de arte.
“Clube da Luta” é assim… no final tudo faz sentido.

Formato: rmvb
Tamanho do arquivo: 453.14 MB
Link do download: MEGAUPLOAD


Uploaded by @_arnnor

Publicado em junho 24, 2011, em FILMES. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Esse filme é muito bom.De vez em quando o Bradi Pitio faz uns filmes bons,tem um novo inclusive ae.Sugestao de poste.
    É legal as mensagens subliminares,nao as explicitas,mas as sutilezas que apenas quem assistiu o filme com muita atençao vai perceber.
    Snatch porcos e diamantes,um outro filme com esse sujeito tambem é muito legal.
    JIhn

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: